Reciclagem de Cartuchos

Os fabricantes de impressoras garantem a maior parte do lucro através da venda dos cartuchos de tinta. Em algumas situações, dois ou três cartuchos novos equivalem ao preço da impressora propriamente dita. Ao mesmo tempo em que cresce a adoção de impressoras a jato de tinta, cresce também o mercado alternativo de cartuchos não-originais. São os chamados cartuchos remanufaturados, ou simplesmente recondicionados ou reciclados.

Cartuchos remanufaturados são os originais produzidos pelas fabricantes de impressoras, que recebem uma nova carga de tinta quando a original acaba a fim de serem reaproveitados para imprimir novamente. Mas não há nenhum vínculo entre essas grandes companhias e as empresas recondicionadoras. Por isso, os fabricantes proíbem o uso desses cartuchos, sob argumentos de que, além de ficarem com qualidade inferior após o processo, podem danificar a impressora.

Entretanto, para o consumidor, a relação custo X benefício pode falar mais alto. Um cartucho remanufaturado custa, ao consumidor final, metade do valor de um original.

Apesar de as grandes empresas tentarem reprimir a reciclagem, esse mercado não é ilegal, nem pode ser considerado pirata, desde que o cartucho recarregado seja o original do fabricante e que, para vendê-lo, fique claro que o produto tenha sido recondicionado. Também existem cartuchos falsificados, esses sim, ilegais. Os falsificados não são cartuchos originais, mas sim produtos que tentam se ''disfarçar'' de originais, ludibriando o consumidor e prejudicando o mercado como um todo. Geralmente, chegam via contrabando e são de baixíssima qualidade.

Problemas com a reciclagem

É incontável o número de empresas que fazem o processo de recondicionamento e vendem para as lojas. O próprio usuário pode recarregar a tinta, basta comprar um refil específico e recondicioná-lo em casa, em poucos minutos, bastando apenas ter cuidado na operação. E é esse cuidado que pode diferenciar um produto de boa qualidade. As falhas e os problemas, em um contexto geral, são comuns nos remanufaturados. Os principais obstáculos são o vazamento de tinta e o ''borrão'', vez por outra ocasionado durante a impressão. Não é difícil acontecer de a tinta pingar um pouco, ou até mesmo vazar, na hora em que as páginas estão sendo impressas, sem o usuário sequer perceber. Em trabalhos nos quais se exige mais qualidade de impressão, sobretudo quando for usado o colorido, o resultado pode sair com algumas manchas no papel ou deformações nas letras; mas o grande problema, contudo, é mesmo o vazamento sutil, no qual a tinta pode entrar nos circuitos eletrônicos da impressora ou danificar o cabeçote de impressão. E quem já enfrentou problemas com impressoras, sabe bem: geralmente é melhor comprar uma nova do que consertar uma quebrada. O problema do vazamento é ocasionado, na maioria das vezes, pelo próprio processo de recondicionamento. Quando a tinta acaba, a operação é feita através de uma agulha bem fina que injeta nova tinta no cartucho. E é justamente a ''injeção'' que pode gerar falhas, adiante, durante a impressão. Quando o cartucho sai original da fábrica, ele é fechado com uma pressão interna que não deve variar. O processo de injetar tinta, ou seja, forçar tinta nova para dentro do cartucho, pode ocasionar bolhas de ar dentro do produto. Elas são perigosas, pois podem modificar a pressão e borrifar suaves ou imperceptíveis respingos de tinta na hora de imprimir.

Caso o cartucho seja colorido, o recondicionamento é ainda mais complicado. Geralmente, os coloridos possuem esponjas internas de proteção, a fim de que as tintas não se misturem. Um recondicionamento mal feito pode ser a causa de um resultado desastroso quando as tintas se misturam. Tanto é que, para cartuchos coloridos, é muito mais difícil encontrar remanufaturados.

Há usuários, porém, que nunca tiveram problemas com recarga de cartucho. Indiscutivelmente, a qualidade não é a mesma de um cartucho novo, mas fica bem mais leve para o bolso.